Bem Vindo

Um espaço para troca de experiências, reflexões, dúvidas referentes ao universo dinâmico e surpreendente do inconsciente.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Quando a Criança Completa Dois Anos:

O "ser", o "eu", está diferenciado agora, existe uma identidade, uma pessoa destacada da mãe, do mundo. Há o "meu", "minha", "não", "quero", "me dá", existe o desejo, a vontade que necessita ser satisfeita no mesmo instante. E como lidar com este novo ser, com esta nova situação que se instalou?


A hora do banho, a necessidade de se alimentar de forma correta, a ingestão de medicação para curar um mal estar, o arrumar os brinquedos, vestir um casaco pois está frio, enfim, deveres, rotinas necessárias que este universo de "dois anos" ainda não compreende.


O melhor recurso a ser utilizado neste período e acredito que em diante é o da negociação, ou melhor, o da brincadeira, do lúdico. - "Vamos tomar banho?" Pergunta a mãe. O filho responde: -"Não". A mãe negocia: -"Vamos brincar com o peixinho. Vamos conversar com ele e contar como foi o dia na escolinha!" Referindo-se ao tapete do box do banheiro que é no formato de um peixe. E o filho logo se interessa e corre para o banho com a maior felicidade do mundo.


A criatividade no lidar com a criança pequena é fundamental para nós pais, assim como para os educadores ou demais responsáveis. Quando se consegue a negociação com a criança tudo segue na mais perfeita ordem e sem conflitos, sem enfrentamentos. A criança também internalizará este modelo de funcionamento, conseguindo se gerenciar melhor, utilizando de recursos para a resolução de conflitos, inclusive com os seus pares.


A criança organiza internamente um mundo mais prazeroso, criativo, gerenciador de impasses. Torna-se mais "crescido", mais social, mais autônomo, ao contrário das crianças provocadoras de conflitos e mal estar que clamam a atenção constante e conturbada dos pais, dos adultos, estes por sua vez, possíveis crianças provocadoras no passado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário